sexta-feira, 12 de março de 2010

O Ajuste de Contas

By: Gabriella às 21:19
Frase : Eu preciso muito da sua ajuda - falou ele.

Escreva uma história, um conto ou até mesmo uma fábula (nada de textos argumentativos) que contém a frase acima.

Gente, eu estou sem um pingo de criatividade, então apelei pelo Once Upon a Time. Não vou me inscrever. É só por escrever.

Lucas, meu melhor amigo. Desde sempre até sempre. Só de pensar em como nossa história terminou, eu me entristeço. Na saúde e na doença, ele sempre esteve ao meu lado, e eu fugi dele quando ele mais precisava de mim. Por quê fui tão tola? Por quê deixei o preconceito me vencer? Nunca fui preconceituosa. Sempre  tive amigos de todas as raças. De todas as cores. E com o meu amigo. Eu sei, eu não esperava isso dele. Mas ele não esperava isso de mim.
Desde pequena ele esteve comigo. Ele esteve ao meu lado quando peguei a Gripe A. Esteve ao meu lado quando peguei pneumonia, conjuntivite e todos os tipos de doenças contagiosas e não contagiosas que você possa imaginar. Sempre tive saúde frágil. A dele não. Nunca se esperaria que eu iria mais longe que ele.
Mas, bom; com medo dessas doenças que, com minha saúde frágil, me matariam num piscar de olhos, sempre fui mais recatada. Ele não. Era amigo de todas. Principalmente meu, mas de todas. E num lindo dia ensolarado, eu estava na casa dele. Eu estava conversando com ele como sempre faço, quando ele desmaiou. Levei ele ao médico correndo e, algumas horas depois, recebi a resposta que mais me aterrorizava. Quatro letras, uma sigla. AIDS! Me afastei dele. Nunca dei a ele uma explicação certa. Me arrependo tanto. Fui tão idiota. Podia ter salvo a vida dele, mas só quando ele estava em seu leito de óbito eu lhe dei atenção. Minha mãe habia me obrigado a ir até ele, me despedir. Fui contrariada, mas conversei com ele...
Fui a última pessoa que ele conversou.
Raquel, eu preciso muito da sua ajuda - falou ele, eu dei um sorriso e ele completou - Eu vou ser nuvem. Seja amor.
Uma frase do meu livro preferido. Extremamente triste, mas lindo. A Corrente da vida. Meu nome realmente é Raquel, e ele associou.  Começei a chorar, e ele se foi. Nos meus braços. E eu pensei o quanto eu poderia ter ajudado. Quão inútil eu fui o tempo todo. Ele merecia minha ajuda. Mas eu nunca mereci a ajuda que ele me deu. Agora, sofrerei. Pensarei nisso o resto da minha vida. Eu sei que irei. A vida me fará pagar essa conta. E eu não fugirei do cobrador. Mereço pága-la. Fui tonta. Fui preconceituosa. Podia tê-lo salvado.

(: Bjokas e Pipokas :)
(: Gaby :)

barrinhas Pictures, Images and Photos

2 com 13 on "O Ajuste de Contas"

Gabriela Valente on 14 de março de 2010 11:58 disse...

adorei ! :)

thais katsumi on 14 de abril de 2010 22:00 disse...

EU CHOREI! Muito perfeito isso cara. Eu nunca vivi nada parecido, mas eu consegui sentir alguma coisa bem estranha dentro de mim, me dizendo "Meu, não se afasta nunca de seus amigos, eles são preciosos"

sexta-feira, 12 de março de 2010

O Ajuste de Contas

Frase : Eu preciso muito da sua ajuda - falou ele.

Escreva uma história, um conto ou até mesmo uma fábula (nada de textos argumentativos) que contém a frase acima.

Gente, eu estou sem um pingo de criatividade, então apelei pelo Once Upon a Time. Não vou me inscrever. É só por escrever.

Lucas, meu melhor amigo. Desde sempre até sempre. Só de pensar em como nossa história terminou, eu me entristeço. Na saúde e na doença, ele sempre esteve ao meu lado, e eu fugi dele quando ele mais precisava de mim. Por quê fui tão tola? Por quê deixei o preconceito me vencer? Nunca fui preconceituosa. Sempre  tive amigos de todas as raças. De todas as cores. E com o meu amigo. Eu sei, eu não esperava isso dele. Mas ele não esperava isso de mim.
Desde pequena ele esteve comigo. Ele esteve ao meu lado quando peguei a Gripe A. Esteve ao meu lado quando peguei pneumonia, conjuntivite e todos os tipos de doenças contagiosas e não contagiosas que você possa imaginar. Sempre tive saúde frágil. A dele não. Nunca se esperaria que eu iria mais longe que ele.
Mas, bom; com medo dessas doenças que, com minha saúde frágil, me matariam num piscar de olhos, sempre fui mais recatada. Ele não. Era amigo de todas. Principalmente meu, mas de todas. E num lindo dia ensolarado, eu estava na casa dele. Eu estava conversando com ele como sempre faço, quando ele desmaiou. Levei ele ao médico correndo e, algumas horas depois, recebi a resposta que mais me aterrorizava. Quatro letras, uma sigla. AIDS! Me afastei dele. Nunca dei a ele uma explicação certa. Me arrependo tanto. Fui tão idiota. Podia ter salvo a vida dele, mas só quando ele estava em seu leito de óbito eu lhe dei atenção. Minha mãe habia me obrigado a ir até ele, me despedir. Fui contrariada, mas conversei com ele...
Fui a última pessoa que ele conversou.
Raquel, eu preciso muito da sua ajuda - falou ele, eu dei um sorriso e ele completou - Eu vou ser nuvem. Seja amor.
Uma frase do meu livro preferido. Extremamente triste, mas lindo. A Corrente da vida. Meu nome realmente é Raquel, e ele associou.  Começei a chorar, e ele se foi. Nos meus braços. E eu pensei o quanto eu poderia ter ajudado. Quão inútil eu fui o tempo todo. Ele merecia minha ajuda. Mas eu nunca mereci a ajuda que ele me deu. Agora, sofrerei. Pensarei nisso o resto da minha vida. Eu sei que irei. A vida me fará pagar essa conta. E eu não fugirei do cobrador. Mereço pága-la. Fui tonta. Fui preconceituosa. Podia tê-lo salvado.

(: Bjokas e Pipokas :)
(: Gaby :)

barrinhas Pictures, Images and Photos

2 comentários:

Gabriela Valente disse...

adorei ! :)

thais katsumi disse...

EU CHOREI! Muito perfeito isso cara. Eu nunca vivi nada parecido, mas eu consegui sentir alguma coisa bem estranha dentro de mim, me dizendo "Meu, não se afasta nunca de seus amigos, eles são preciosos"